Grupo ECC E-Consulting Corp. DOM Strategy Partners Instituto Titãs Inventures

Tecnologias Sociais permitem Grandes Empresas agirem como Pequenas

Muito se discute no mercado sobre os impactos das chamadas tecnologias sociais sobre as organizações, em especial sob o ponto de vista de uma nova proposta de relacionamento entre empresas, marcas e consumidores.No entanto, as tecnologias sociais trazem mais do que novos desafios e oportunidades para a relação entre Consumidores e Empresas.

Trata-se de uma mudança cultural que implica relacionar-se com maior velocidade, colaboração e transparência com todos os interessados (parceiros, consumidores, fornecedores e funcionários). Organizações que obtiveram experiências positivas com a Web 2.0 têm buscado aplicar esses fatores como forma de promover mudanças em suas estruturas e em suas práticas gerenciais.

O Velho Modelo

Antes, as ações das empresas eram feitas de forma responsiva, de dentro para fora, a partir de dados coletados de consumidores, parceiros, mercado, tendências, percepções e sugestões vindas dos funcionários de linha (aqueles em contato direto com cliente), dentre outros, cada qual com seu viés de interpretação e compreensão. O problema com esse modelo é que, aos olhos dos envolvidos, o tempo entre o surgimento da tendência/demanda e a resposta/ação da empresa é simplesmente muito longo.

A razão disso está na forma como as organizações estão estruturadas. Ainda existem muitas barreiras entre os tomadores de decisão e os públicos interessados. Algumas dessas barreiras são hierárquicas. Outras gargalos em termos de estrutura de atendimento e relacionamento ou inexistência de fluxos internos de comunicação ou derivação interna de questões de públicos externos a quem de direito.

Neste contexto, os tomadores de decisão tem dificuldades para acessar rapidamente dois aspectos fundamentais de qualquer negócio: (1) a Experiência de Marca dos consumidores e (2) a Capacidade Colaborativa de parceiros e funcionários de linha.

No momento que tais informações chegam ao seu poder elas já viraram história.

Além disso, os membros da organização que têm contato direto com clientes e parceiros estão limitados à suas convocatórias, muitas vezes impossibilitados de corrigir problemas ou propor soluções. Do ponto de vista do cliente, isso significa passar de departamento para departamento, atendente para atendente e só conseguir a solução necessária com muito custo.

O Novo Modelo: Leve os Tomadores de Decisão para a Ação!

As organizações estão aprendendo com a Web 2.0 a quebrarem barreiras, a serem mais ágeis e a colaborar. As tecnologias sociais como blogs, o Twitter, e Wikis permitem aos tomadores de decisão diminuir as barreiras existentes entre eles e os demais interessados (clientes, funcionários de linha, parceiros, etc).

Essas tecnologias permitem um fluxo livre da informação, trazendo visibilidade aos verdadeiros desafios e oportunidades enfrentados pelas organizações. Elas levam a uma maior eficiência e inovação e, principalmente, permitem aos interessados participarem desse processo.

De maneira simples: a maior proximidade entre os tomadores de decisão (entre si) e os interessados, aliado ao poder da colaboração permitem às grandes empresas tomarem decisões como pequenas.

Empresas como AT&T e a Sony têm utilizado comunidades baseadas em tecnologias como Lithium para incrementar o serviço ao consumidor. Tais fóruns são plataformas de colaboração entre usuários e permitem que eles próprios resolvam seus problemas técnicos. É uma relação ganha-ganha: de um lado os consumidores têm suporte mais rápidos e de outro, as empresas tem acesso à informações valiosas sobre satisfação e desempenho de seus produtos.

Outras plataformas como Bazaarvoice tem permitido a empresas como a Nike aumentar receitas e taxas de cross/up sell simplesmente perguntando aos clientes o que eles querem e estruturando essas informações de forma a serem aproveitadas corporativamente.

Tais tecnologias e abordagens permitem que empresas revolucionem seu próprio modelo de negócio e relacionamento. Conheça e inspire-se com o case da Best Buy assistindo o vídeo (em inglês) abaixo, que detalha sua Estratégia de Social Technology.

http://crazymotion.net/open-for-business-best-buys-social-technology-strategy/wwhzN-7uCiZwjAy.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 1 =

Scroll to Top