Grupo ECC E-Consulting Corp. DOM Strategy Partners Instituto Titãs Inventures

Ping-Pong com Melanie Swan: Redes Socioeconômicas e o Futuro da Economia

1) Por favor, você poderia definir as Redes Sócio-Econômicas (Social Economic Networks)? Além disso, analisar sua importância, o modo de evolução no curto prazo e os principais impactos sobre a economia global e sobre modelo de sociedade?

 

Moeda social – informações compartilhadas que encorajam outros encontros sociais1- são transacionadas através de redes sócio-econômicas. A partir de uma perspectiva econômica, o papel das redes sócio-econômicas é desbloquear e monetizar o valor oculto das transações. Esse valor está na forma de assimetria de informações à medida que o vendedor detém informações que são úteis para o comprador. Tanto o comprador como o vendedor usufruem mais benefícios do que se a rede sócio-econômica não existiss

As redes sócio-econômicas estão impactando indivíduos e organizações em nível global e local. As transações podem se dar entre partes anônimas ou partes que já se conhecem. Por exemplo, o Groupon – web site baseado no modelo de grupo de compras (NT: similar ao Peixe Urbano no Brasil), indivíduos se comprometem a comprar algo em troca de um desconto se um número mínimo de pessoas também o fizer.

Através das redes sócio-econômicas, organizações podem desbloquear o capital intelectual de formas que não eram possíveis anteriormente, através de ferramentas de previsão de mercado (mecanismos para coletar e agregar opinião). Os conceitos são atrativos em nível global e podem ser implementados localmente graças ao poder democratizante da Internet. As redes sócio-econômicas provavelmente irão crescer nos próximos anos, particularmente nos ativos criados e nos modos e modelos para sua troca.

2) Como você enxerga o modelo como as redes sócio-econômicas redefinem o modo pelo qual as pessoas compreendem Moeda, Valor de Troca, a própria Economia e, acima de tudo, o valor real do dinheiro e de bens?

 

As redes socioeconômicas estão auxiliando a monetização dos novos intangíveis que surgem a partir de modelos alternativos de moeda tais como: intenção, atenção, tempo, idéias, criatividade e dados sobre saúde. Indivíduos estão começando a compreender que eles possuem mais ativos com um valor econômico que vai além do trabalho empregado sobre ele, são várias moedas que estão começando a se tornar mais monetizáveis.

As novas moedas têm novas formas de mensuração para sua monetização, tais como: percepção (awareness), influência, autenticidade, alcance, ação, engajamento, impacto, conectividade, velocidade, participação, valores compartilhados e presença. À medida que os princípios de mercado tornam-se a norma para alocação e troca de recursos intangíveis, todos os agentes de mercado estão começando a ter um conceito sobre troca e reciprocidade mais intuitivo e abrangente.

Reputação sempre foi um ativo intangível importante, e foi uma das moedas alternativas citadas pela primeira vez, no entanto, não era passível de ser monetizada muito além do que um atributo do trabalho do capital. Agora, existem mais moedas alternativas, como a moeda social, que são diretamente monetizadas através de redes sócio-econômicas. Valores e ativos reais estão sendo criados em redes sócio-econômicas.

Por exemplo, produtos e serviços têm maior valor quando são recomendados. Um ativo de informação que tenha sido gerado, em grande parte através do trabalho de multidões, são produtos e recomendações de serviço. Alguns exemplos destas fontes de informação que facilitem a compra incluem revisões da Amazon, recomendações sobre Negócios no site da Yelp, sites de compras social (ex; Kaboodle, Polyvore, StyleHive, ThisNext), e a descoberta de atributos de produtos e sites de discussões sobre produtos (por exemplo, Stickybits, ClickZ).

3) Em relação à realidade e ponto de vista dos consumidores, como essas redes podem ser consideradas? Quais seriam os efeitos mais relevantes sobre preços, produtos, serviços e sobre a tradicional equação de oferta e demanda?

 

As redes sociais econômicas melhoram a proposta de valor para consumidores individuais e institucionais, à medida que produtos e serviços podem ser descobertos e segmentados com uma maior relevância. Informações detalhadas publicadas por usuários de redes sociais (individual e institucional) podem ser usadas por empresas e outros interessados (por exemplo, os empregados em potencial) para inferir os valores, preferências e interesses dos outros. Em resposta, propagandas e mensagens hiper-personalizadas podem ser disponibilizadas a esse público. 2

Marketing super segmentado, recomendações e endossos autênticos de produtos feitos por amigos são algumas das maneiras que as redes sociais têm melhorado a relevância econômica do comércio. Um desdobramento óbvio seria as empresas anteciparem a demanda antes mesmo que ela ocorresse, respondendo à intenção de compra dos consumidores. A previsão dessa intenção poderia ser feita a partir das interações dos consumidores em sites como o Facebook e seus botões de “gostar”.

Um mercado de antecipação de demanda poderia surgir. Equações tradicionais da economia poderiam ser transformadas à medida que fornecedores testem novas variedades de ofertas segmentadas através da Internet. A cauda longa da oferta e demanda poderia reunir potencialmente milhões de micro-mercados, possivelmente no nível de ofertas e preços customizados para cada indivíduo. Lotes menores se traduzem em margens maiores. Existem inúmeras oportunidades empresariais para facilitar a geração, produção e distribuição de produtos e serviços no nível de n = 1.

4) Em termos de ambientes de negócios, cadeias de valor, indústrias da criatividade, comunidades digitais e ativos intangíveis, quais são os pontos principais e análises que poderiam trazer uma melhor compreensão e conhecimento acerca das Redes Sócio-Econômicas.

 

Redes Sócio-Econômicas são apenas um pedaço de um contexto maior de transformação econômica. Além do nível básico de criação de valores e ativos já discutidos, as redes sócio-econômicas estão gerando um ativo crítico: bilhões de pontos de informações que podem ser agregados em tempo real em feeds econômicos. No momento, a pulsação da economia em tempo real pode ser lida primeiramente em redes sociais como o Blippy, onde usuários automaticamente postam suas transações econômicas na medida em que ocorrem, além disso, sites de previsão de demanda como o Hollywood Stock Exchange e o simExchange, onde usuários opinam sobre a receita de bilheteria de novos filmes e vídeo-games. Comparações agregadas podem ser feitas, por exemplo, analisando a performance financeira de uma empresa em um determinado trimestre ou se os níveis de consumo estão baixos.

Similarmente aos botões de “gostar” das redes sociais e as atualizações de status que podem ser utilizadas para inferir valores dos consumidores e suas preferências com “mecânicas de sentimento”, essa informação também pode ser agregada.

Enquanto muitos acreditam que um comentário do tipo “Eu comi um hot-dog” não tem valor algum, quando agregado em um nível macro, esse comentário poderia indicar um aumento do consumo de carne de porco. Conectar redes sócio-econômicas com localização em tempo real através de redes mobile poderia ser outro importante passo em direção a uma economia onde compradores e vendedores se conectam facilmente em um processo contínuo de interação entre oferta e demanda.

Para conhecer mais sobre o trabalho da Melanie, acesse o link: http://www.melanieswan.com/bio.html

Os comentários estão fechados.

Scroll to Top