Grupo ECC E-Consulting Corp. DOM Strategy Partners Instituto Titãs Inventures

Portal Executivos Financeiros – Julho, 2015

Companhia ficou em último lugar no ranking que mostra as marcas que mais produzem valor na relação com seus públicos

O escândalo de corrupção da Petrobras impactou negativamente a empresa, ocasionando consequências na percepção de seus stakeholders.  A constatação é do ranking MVP (Mais Valor Produzido) – Química e Petroquímica, produzido pela DOM Strategy Partners, consultoria nacional focada em estratégia corporativa. A estatal ficou em último lugar na edição 2015 do levantamento, com a nota 7,88. No passado, a marca figurou na terceira posição, com a pontuação 8,03.

O levantamento avalia de 0 a 10 a capacidade das companhias em gerar e proteger valor não apenas para si, mas também para seus clientes, consumidores, acionistas, funcionários e sociedade, conhecidos como stakeholders. A liderança este ano ficou com a Basf, que atingiu nota 8,19, seguida da Braskem, com pontuação de 8,16, e finaliza com a Raízen, que atingiu 8,01, e a DOW, com 7,91.

Com exceção da Petrobras, as empresas permanecem na mesma posição apontada pelo ranking em 2014, que era a Basf em primeiro, mas com três décimos abaixo da nota atual; Brasken em segundo, com 8,09; a estatal em terceiro; e, logo atrás, a DOW; com 7,94 e a Raizen, com 7,92.

A Dom Strategy Partners ouviu as maiores empresas do segmento Químico e Petroquímico e validou ativos como Eficácia da Estratégia Corporativa, Resultados Gerados, Crescimento Evolutivo, Valor das Marcas, Qualidade de Relacionamento com Clientes, Governança Corporativa, Sustentabilidade, Gestão de Talentos, Cultura Corporativa, Inovação, Conhecimento, Grau de Transformação e Uso das Tecnologias Digitais, dentre outros.

Para viabilizar a pesquisa, a consultoria aplicou a metodologia EVM (Enterprise Value Management), tática que defende a tese de que o valor produzido pelas empresas – tanto gerado, como protegido, seja este tangível ou intangível -, é agregado (ou destruído) e materializado (quantificado) em função da percepção de valor apreendida e tangibilizado pelos stakeholders.

A resposta sobre capacidade de cada empresa gerar e proteger valor para si e para esses públicos foi feita a partir da quantificação das quatro dimensões que definem o Valor Corporativo de uma companhia: Resultados, Reputação (definida como Credibilidade/Imagem), Competitividade e Riscos.

“Avaliando a Petrobras, entre outubro e fevereiro, a empresa perdeu mais de 60% de seu valor de mercado. E embora a perda também tenha sido influenciada pela queda global no preço do barril de petróleo, ela foi mais acentuada, na visão dos seus stakeholders, por conta das revelações da operação Lava Jato”, explica Daniel Domeneghetti, autor da pesquisa e CEO da Dom Strategy Partners.

Abaixo, quadro comparativo da pontuação ranking 2015/2014.

Química e Petroquímica 2015 Nota Química e Petroquímica 2014 Nota
BASF 8,19 BASF 8,16
Braskem 8,16 Braskem 8,09
Raízen 8,01 Raízen 8,03
DOW 7,91 DOW 7,94
Petrobras 7,88 Petrobras 7,92

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 1 =

Scroll to Top