Grupo ECC E-Consulting Corp. DOM Strategy Partners Instituto Titãs Inventures

Jornal A Gazeta do Povo, julho, 2013

Chegar à liderança de uma grande empresa é o sonho de muitos profissionais, mas o caminho para o topo é concorrido e exige, cada vez mais, a capacidade de navegar por cenários desconhecidos. “Quem almeja a liderança precisa ser capaz de replicar experiências vividas em diferentes realidades e cenários, analisando o presente e o futuro e fazendo escolhas com as ferramentas disponíveis”, diz Daniel Domeneghetti, CEO da consultoria DOM Strategy Partners. A consultoria DOM Strategy Partners ouviu 93 líderes que estão à frente de grandes empresas brasileiras sobre as principais tendências no quesito liderança, e listou dez regras de comando do CEO moderno. Confira abaixo:

Dedicação e Foco

Bons líderes sempre fazem algo que contribui para o alcance dos objetivos da empresa ao mesmo tempo em que inspiram os demais a fazer o mesmo. São orientados a resultados, objetivos, metas e raramente tiram folga. Bons líderes têm senso de propósito, finalidade e, sobretudo, de urgência quando demandados. Estabelecem metas exigentes porque sabem que seus liderados podem entregar mais.

Visão do presente e do futuro

O líder deve ter capacidade de compreender a situação atual, suas forças, fraquezas, riscos e oportunidades, tendo um claro senso de direção e preocupação para o futuro da organização e de seus membros. Devem ser capazes de prever o futuro, antecipando os desafios, ao mesmo tempo em que estão dispostos a quebrar paradigmas para chegar ao resultado esperado. Líderes são guardiões da visão, missão e valores das marcas corporativas. Ninguém chega a algum lugar se não sabe onde está.

Humildade e respeito

Líderes corretos e inteligentes se afastam do culto ao ego e da imagem de super-homem. Não acreditam em todos os elogios que recebem e sabem que, quanto mais poder têm, mais “amigos” terão na jornada. Chefes equilibrados entendem que isso é parte de sua condição e não se deixam enganar ou ludibriar. A liderança se resume, essencialmente, a servir e respeitar os outros para conquistar o respeito.

Integridade e Confiança

A integridade do líder se relaciona à honestidade, credibilidade, transparência, coerência, sólidos princípios morais e à percepção de confiança. O bom chefe adota e executa as melhores práticas de governança corporativa, além de sempre manter sua palavra e respeitar contratos e acordos. Por mais duras que sejam as medidas a serem tomadas, eles assumem a responsabilidade da decisão.

Visão compartilhada e responsabilidade pessoal

Líderes não são os únicos com visão e opinião e tampouco são profetas com “revelações divinas”. Por isso, o líder deve ser capaz de ouvir sua equipe sempre, mas principalmente durante os processos decisivos. Os cargos de confiança são chefiados por líderes modernos, habilitados para dar forma e sentido às aspirações e desejos de seus liderados. Os líderes fortes não delegam representatividade ou responsabilidade que lhes pertence.

Criatividade, flexibilidade e diversidade

Chefes inteligentes valorizam a diversidade de pensamento e ajudam seus liderados a encontrar a melhor solução possível. Eles acreditam que criatividade os ajuda a enxergar coisas onde os demais não enxergam. O líder moderno entende que deve dar aos colaboradores espaço e flexibilidade para inovar.

Comunicação clara

Grandes líderes são hábeis em comunicar de forma clara suas visões, objetivos, intenções e expectativas. Líderes que dialogam face a face com os seus liderados, garantindo 100% de entendimento da mensagem, estimulam a equipe. Além disso, têm grande capacidade de ouvir e interpretar o que os demais estão comunicando, tanto de forma consciente como inconsciente. Quanto mais se comunicam, mais sabem lidar com a diversidade.

Cuidado genuíno com a equipe

Líderes de alto desempenho são abertos, justos, solidários e se importam de forma verdadeira com sua equipe, sabendo reconhecer os méritos e as fontes de problemas e desequilíbrio no grupo. São apaixonados pelo que fazem e preocupados com o que estão fazendo, mas também são frios e absolutamente profissionais em sua condução, planejamento, gestão e correção de rotas. Se o líder não ama o que faz, tampouco sua equipe amará.

Trabalho em grupo e os diferentes

Nenhum líder em toda a história realizou algo sozinho. Por isso, cada vez mais, o líder sabe que a colaboração é fundamental. Líderes delegam responsabilidades, missões e tarefas e cobram de forma justa as entregas de seus liderados. Líderes do século 21 privilegiam o trabalho em grupo, mas também sabem valorizar as estrelas solitárias e as opiniões diferentes.

Motivação e valorização dos talentos

Líderes devem ser capazes de desenvolver os membros da equipe com aptidões para manter a organização prosperando, mas precisam saber lidar com aqueles funcionários adeptos da mentalidade “mas isso não é a minha função”. Bons líderes não toleram profissionais que se comportam contrariamente aos valores da organização, independente de sua capacidade de entrega e desempenho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + dezessete =

Scroll to Top