Grupo ECC E-Consulting Corp. DOM Strategy Partners Instituto Titãs Inventures

Já venho twitando há mais de um ano e gostaria de compartilhar com vocês estas primeiras experiências. O Twitter é um software (microblog) de rede social que permite criar relações one-to-many, onde voce posta um texto na twittoesfera e seus seguidores podem ler e comentar a qualquer hora, assincronamente, embora, de maneira geral, os comentários são postados quase que imediatamente após o texto original circular. É uma comunidade auto-organizável, pois você escolhe a seu critério quem seguir. Não existem regras ou restrições. Você não precisa conhecer pessoalmente a pessoa que quer seguir e não precisa de autorização prévia para seguir alguém. Basicamente você segue as pessoas por algum motivo, sejam estes profissionais ou que compartilhem os mesmos interesses.

É uma ferramenta extremamente simples e maleável de se usar. Podemos twitar a qualquer momento, seja em meio a uma palestra ou preso em um engarrafamento de trânsito.
Bem, porque comecei a twitar? Como Technical Evangelist da IBM tenho por obrigação (e por prazer…) estar antenado com inovações e identificar rapidamente o que é hype e o que é factível é uma das minhas atribuições. O Twitter tem sido um “must”. No ano passado alcançou a marca dos 50 milhões de usuários, que postaram 8 bilhões de tweets. Hoje já são mais de cem milhões de usuários. No Brasil também tem sido um febre. A lingua portuguesa é a segunda lingua mais falada na twitoesfera, com 11% dos posts. A primeira, indiscutivelmente é a lingua inglesa, com 61% dos posts. Portanto, nada mais natural que eu entrasse também na twitoesfera e sentisse o gostinho de postar tweets.

Aprende-se aos poucos. Primeiro não vale a pena seguir todo o mundo. Segue-se apenas empresas e pessoas que compartilhem os mesmos interesses ou que sejam da mesma área profissional. Achá-los é um exercício de paciência e persistência.

Cada um usa o Twitter da forma que achar melhor. Não existe uma regra única. Você pode usá-lo para disseminar idéias e opiniões ou simplesmente para falar abobrinhas. Vão existir seguidores para todos os gostos…No meus tweets optei por abordar principalmente questões ligadas à area de TI, compartilhando idéias e opiniões pessoais sobre assuntos ligados à tecnologia.

O Twitter é um bom lugar para testar idéias e insights. Você twita algum insight e vê se há alguma reação, como um reply ou um retweet (RT). Na minha opinião, embora essencialmente tuite posts ligados à minha área profissional, acho que o Twitter também é um meio de você se colocar como pessoa, postando comentários e opiniões sobre a situação politica e econômica do país. Para isso, é importante que você deixe bem claro no profile que você posta opiniões pessoais, não havendo nenhuma relação delas com sua empresa e seus colegas de trabalho. Os posts que coloco no Twitter representam unica e exclusivamente minhas opiniões e não as da IBM e de seus funcionários.

O Twitter é muito bom para noticias em tempo real. Você sabe ou viu alguma coisa, tuita na hora. As primeiras noticias dos ataques terroristas em Mumbai na India ou a amerrisagem do avião no rio Hudson em Nova York  foram propagados pelo Twitter. Da twitoesfera chegou depois às redações dos jornais e TVs…

Agora, não dá para ficar todo o tempo tuitando. Geralmente tweeto de manhã cedo e quando surge uma novidade. Deixo rodando em background um software muito interessante que me mantém atualizado sobre comentários aos meus posts, que é o Twhirl (www.twhirl.org). Ele age como um software de mensageria instantânea e me alerta da chegada de algum comentário aos meus tweets.

Na minha opinião o Twitter tem tremendo valor como plataforma de mídia social. Existe um ecossistema de desenvolvedores que gravitam ao seu redor, criando inúmeras aplicações muito interessantes. Mas, o Twitter não é só para isso. Analisar o “sentimento” ou viés positivo ou negativo dos bilhões de tweets com respeito a um determinado assunto, empresa ou produto pode ser bastante útil, principalmente pois estes tweets representam opiniões quase em tempo real do que milhões de pessoas estão pensando.

Descobri recentemente  um aplicativo que analisa o “sentimento” dos tweets, o TwitterSentiment (http://twittersentiment.appspot.com/ ). É um software oriundo de um projeto de pesquisa por parte de alunos da Universidade Stanford, cujo paper que o descreve, “Twitter Sentiment Classification using Distant Supervision” pode ser visto em http://tinyurl.com/y9l6ohs. Infelizmente, o software, na versão atual apresenta diversas limitações, uma delas é que só entende sentenças em inglês.

Mas, é bem interessante. O usei para checar “feelings” sobre algumas empresas e filmes (como Avatar). Avatar, por exemplo, teve 75% de “sentimentos” positivos. E, realmente, ao filme é dez!

Por tudo isso, não é a toa que o valor de mercado do Twitter é estimado em 1 bilhão de dólares. Questiona-se seu modelo de negócio, mas quando existe uma concentração muito grande em um único lugar, de um recurso escasso e caro que é atenção das pessoas, com certeza vai existir potencial de geração de negócios.

Resumindo, o Twitter é:

1. Uma experiência positiva e prazeirosa.
2. Acredito que os melhores tweets são os que compartilhem algo interessante, que agregue algum valor a quem o está seguindo.
3. Como é um forum publico, você deve estar antenado com as regras e procedimentos oficiais de sua empresa quanto ao uso das redes sociais. Use o bom senso para identificar o que é aceitável de ser postado.
4. Embora o Twitter seja orientado a pessoas físicas, empresas podem estar na tuitoesfera, como a própria IBM (@ibmbrasil) e algumas das suas brands de software (lotusbrasil, IBMTivoliBrasil e IBM_IM). Pode ser um bom canal de marketing e relacionamento com clientes, ao lado de blogs e press-releases.
5. São uma boa fonte de informação sobre o que os clientes das empresas estão dizendo sobre elas. Basta usar mecanismos de busca como os do próprio Twitter (//search.twitter.com ) para pesquisar referências positivas ou negativas que estejam postadas na tuitoesfera.
6. Pode até ser usado como apoio à equipe de suporte técnico como a BestBuy nos EUA tem feito com o seu Twelpforce (http://twitter.com/twelpforce ).

Para terminar alguns insights sobre o Twitter, aprendidos no dia a dia.

1. Os tuites devem ser interessantes (não tuite frivolidades) e retwitáveis. Retwitar alguém é um elogio.
2. Como no Email não use maiúsculas.
3. Não fique aborrecido com os unfollows, que são as pessoas que deixaram de seguir você. No início confesso que até ficava meio preocupado, mas hoje vejo como coisa perfeitamente natural.
4. Sempre que possivel use links curtos. Uso geralmente o TinyURL a partir do Firefox.
5. Não existe certo ou errado no Twitter. O que pode dar certo para mim não necessariamente vai dar certo para outras pessoas.

Enfim, recomendo usar o Twitter. Só assim é que você terá condições de dizer se vale a pena ou não. Ah, em tempo, para me achar no Twitter use www.twitter.com/ctaurion.

 

•    Cezar Taurion: Gerente de Novas Tecnologias da IBM Brasil e professor do MBA da FGV-RJ e da UFRJ aborda as mídias sociais, mais especificamente o Twitter, e sua relevância cada vez mais inquestionável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 − três =

Scroll to Top