Grupo ECC E-Consulting Corp. DOM Strategy Partners Instituto Titãs Inventures

Portal Consumidor Moderno, julho, 2013

Um levantamento realizado pela DOM Strategy Partners, consultoria focada em maximizar a geração e proteção de valor tangível e intangível, listou os dez mandamentos da liderança moderna após ouvir 93 CEOs (Chief Executive Officer) das 300 maiores companhias brasileiras.

Para compor o levantamento, a empresa foi a campo entrevistar líderes como Roberto Setubal (Itaú), Cledorvino Berlini (Fiat), Enéas Pestana (Grupo Pão de Açucar), Rômulo Dias (Cielo) e Alessandro Carlucci (Natura), entre outros executivos, para apurar importantes pontos no processo de gestão para quem está na linha de frente das operações. Sob a ótica de quem sofre a pressão do cotidiano corporativo, a pesquisa abordou temas como “Quais são as principais tendências no quesito liderança?”, “Quais as suas habilidades, atribuições e responsabilidades mais demandas no seu dia a dia?” e, principalmente, “Como liderar atualmente?”, que serviram para entender as regras de comando do CEO moderno.

Segundo Daniel Domeneghetti, CEO da DOM Strategy Partners, o estudo mostra que o conceito chamado “Job To Be Done”, criado por Clayton Christensen, especialista americano em inovação nas empresas e autor do best-seller “ O Dilema da Inovação”, segue as premissas apresentadas pelos executivos sobre a atual estratégia das novas liderança corporativas.

“Concluímos que o novo líder está condicionado a uma missão associada a contornos e resultados mais claros e específicos, mas que tem a consciência de que precisa estar com a equipe correta, qualificada, envolvida da forma eficaz, permeada pelos valores exatos e com características de comportamento e atitude cada vez mais alinhadas à cultura corporativa da empresa”, ressalta Domeneghetti.
O executivo listou os dez mandamentos da liderança “Job To Be Done” para apoiar e orientar as modernas linhas de gestão. São elas:

1.   Dedicação e Foco – Bons líderes sempre fazem algo que contribui para o alcance dos objetivos organizacionais ao mesmo tempo em que inspiram os demais a fazer o mesmo. As pessoas que comandam são orientadas a resultados, objetivos, metas e nunca tiram folga, mesmo estando de folga. Líderes exigentes estabelecem metas superiores porque sabe que seus liderados podem sempre entregar mais. Bons líderes têm senso de propósito, finalidade e, sobretudo, de urgência quando demandado.

2. Integridade e Confiança – A integridade do líder se relaciona à honestidade, credibilidade, transparência, coerência, sólidos princípios morais e à percepção de confiança. O bom chefe adota, abraça, divulga e executa as melhores práticas de Governança Corporativa baseadas nos Códigos de Conduta e de Responsabilidades, tanto como Civil, Trabalhista e Ambiental. Além de manter a palavra, respeitar contratos e acordos, seguindo as regras definidas por ele – ou precedentes a ele. Líderes não traem a si próprios e aos outros, não aceitam traição ou motim. Por mais duras que sejam as medidas a serem tomadas, sempre as tomam quando necessárias, mesmo que pessoalmente não gostem disso.

3. Visão de Futuro Inspiradora + Conhecimento Profundo de Realidade Presente – O líder deve ter capacidade de compreender a situação atual, suas forças, fraquezas, riscos e oportunidades, tendo um claro senso de direção e preocupação para o futuro da organização e de seus membros. Além do presente, os comandantes devem ser capazes de prever o futuro, antecipando os desafios, ao mesmo tempo em que estão dispostos a quebrar paradigmas para chegar no resultado esperado. Líderes são guardiões da Visão, da Missão, dos Valores e das Marcas Corporativas.
Lição dos líderes: ninguém chega a algum lugar se não sabe onde está.

4.    Visão Compartilhada com Responsabilidade Pessoal – Líderes não são os únicos com visão e opinião e tampouco são profetas com “revelações divinas”. Por isso, o atual líder é capaz de promover uma visão compartilhada com a sua equipe durante os processos decisivos. Os cargos de confiança são chefiados por líderes modernos, habilitados para dar forma e sentido às aspirações e desejos de seus liderados. Líderes vencedores assumem a responsabilidade pelo momento crítico, pela decisão importante, pelo voto final e motivam seu pessoal a darem a milha extra, se necessária. Os líderes fortes não delegam representatividade ou responsabilidade que lhes pertença.

5. Criatividade, Flexibilidade e Diversidade – Valorizar a criatividade, a habilidade que se traduz em pensar diferente e desafiar preconceitos que se limitam às soluções existentes é outro elemento que faz parte do cotidiano do atual líder. Chefes inteligentes ajudam seus liderados a encontrarem a melhor solução possível existente. Para os líderes, a criatividade os permite enxergar coisas onde os demais não enxergam. A pergunta mais importante que o líder deve fazer é: “E se…?”. E a segunda mais importante é “Por que não?”. Entretanto, o bom líder sabe que deve aceitar a diversidade para encontrar a criatividade numa cesta maior de opções e alternativas. O líder moderno entende que deve dar aos colaboradores espaço e flexibilidade para os “comos”, sem, contudo, abrir mão dos “o quês” .

6. Comunicação Clara e Intermitente – Grandes líderes são hábeis em comunicar de forma clara e intermitente suas visões, objetivos, intenções e expectativas. Líderes que dialogam face a face com os seus liderados, garantindo 100% de correção na mensagem passada, estimulam a equipe. Além disso, possuem uma grande capacidade de ouvir e interpretar o que os demais estão comunicando, tanto de forma consciente, como inconsciente. Outro ponto é que quanto mais se comunicam mais sabem lidar com a diversidade.

7.    O Trabalho em Grupo e os Diferentes -. Nenhum líder em toda a história realizou algo sozinho. Por isso que, cada vez mais, o líder compreende que a colaboração é fundamental.  Líderes delegam responsabilidades, missões e tarefas, como também, meios, recursos e autoridade. Líderes justos cobram de forma justa as entregas de seus liderados. Premiam e punem de acordo com o combinado. Líderes do Século XXI privilegiam o trabalho em grupo, mas sabem valorizar as estrelas solitárias e combinam modelos capazes de tratar os diferentes.

8. Humildade com Respeito – Líderes corretos afastam de si o culto ao ego, ao carisma exacerbado e a imagem de super-homem. Líderes inteligentes não acreditam em todos os elogios que recebem e sabem que quanto mais poder têm, mais “amigos” terão na jornada. Chefes equilibrados entendem que isto é parte de sua condição e não se deixam enganar ou ludibriar. A profissão da liderança relaciona-se, essencialmente, a servir aos outros. E a respeitar os outros e se fazer respeitar. Grandes líderes levam sua profissão a sério; não a si mesmos.

9. Motivação, Proteção & Promoção do Desempenho Superior – Líderes devem ser capazes de proteger e promover aqueles membros da equipe com desempenho superior e/ou que são aptos a manter a organização prosperando. O funcionário com desempenho inferior e visão unitária (adepto da mentalidade “mas isso não é a minha função”) deve ser confrontado. Entretanto, líderes eficazes não suportam membros que se comporte de forma inversa aos valores cultuados no grupo e na organização, sendo limados, imediatamente, independente de sua capacidade de entrega e desempenho.

10. Cuidar e se Importar Genuinamente –
Líderes de alto desempenho são abertos, justos, solidários e se importam de forma verdadeira com sua equipe, sabendo reconhecer os reais méritos. Igualmente, líderes justos punem, independentemente de quem seja, aqueles que não entregam Valores Corporativos e/ou resultados esperados. Há líderes passionais pelo que fazem e se importam com o que estão fazendo; mas são frios e profissionais em sua condução, planejamento, gestão e correção de rotas. Já os eficazes gostam de planejar, mas gostam, ainda mais, de executar e seguir seu cronograma. Se o líder não ama o que faz, tampouco sua equipe amará.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top