A Gestão de Intangíveis na Prática: O Modelo IAM

Na Era do Conhecimento, os Ativos Intang√≠veis (Marcas, Tecnologia, Relacionamentos, Sustentabilidade, Clientes e Consumidores, Inova√ß√£o, Governan√ßa Corporativa, Conhecimento, Talentos, dentre outros) representam grande parte do valor de uma empresa, a diferen√ßa entre seu valor de mercado e seu valor cont√°bil. Mensurar e gerenciar os intang√≠veis √© tarefa fundamental para a sobreviv√™ncia e competitividade de qualquer […]

Saiba Mais

Intermedi√°rios Inovadores

Intermediar rela√ß√Ķes √© inexor√°vel √† condi√ß√£o humana, pois √©¬† reflexo de 2 coisas: (a) a necessidade de organiza√ß√£o que as atividades transacionais humanas, desconectadas, exigem para que, dentro de uma l√≥gica de interesses, fluxos e rela√ß√Ķes (cadeia!), possam se tornar eficientes e garantir, portanto, lucros aos seus agentes e (b) se o item ‚Äúa‚ÄĚ √© […]

Saiba Mais

O Efeito Borboleta, Caos e Cenários e a Experiência da Shell

O que √©?¬† A teoria do efeito borboleta ou estudo do caos trata, basicamente, das quest√Ķes ordem e da desordem. Teve seu in√≠cio em 1960, quando um meteorologista do MIT, Edward Lorenz, desenvolveu modelos computacionais dos padr√Ķes do tempo. Ap√≥s ter baseado seu programa em uma d√ļzia de vari√°veis que poderiam fornecer um padr√£o de […]

Saiba Mais

De Company Erectus para Company Sapiens

No mundo convergente e 2.0, o conceito de oferta se expande amplamente, abarcando desde o produto tang√≠vel at√© o conte√ļdo colaborativo gerado com o usu√°rio, passando pelos servi√ßos e benef√≠cios agregados; composi√ß√£o de canais, meios e m√≠dias de comunica√ß√£o e o teor da mensagem e conte√ļdo propriamente transacionado. Atualmente, n√£o √© mais poss√≠vel dissociar o […]

Saiba Mais

Clientes no Centro da Cadeia de Valor das Empresas

O cen√°rio competitivo empresarial √© estabelecido pelas conex√Ķes, rela√ß√Ķes e relacionamentos que se d√£o entre os diferentes agentes participantes de uma determinada cadeia de valor. Cada um dos players constituintes dessa cadeia de valor tem necessidades e pap√©is espec√≠ficos, que devem ser desempenhados de maneira organizada, a fim de constitu√≠rem um sistema equilibrado, capaz de […]

Saiba Mais

Marketeiros Pipoqueiros de 2010

Tudo que voc√™ estiver pensando agora n√£o ser√°, com certeza, o mesmo pensamento amanh√£. As inova√ß√Ķes v√™m transformando as nossas vidas desde o princ√≠pio dos tempos. A bem da verdade, o que mudou foi mais a velocidade com que elas acontecessem… ou ent√£o seu marketing, porque est√£o aparecendo muito mais agora do que na √©poca […]

Saiba Mais

Porter J√° Dizia

Compreender as alavancas de lucratividade existentes em cada setor ‚Äď ou como se ganha dinheiro atrav√©s do business as usual (BAU) ‚Äď e as futuras oportunidades e amea√ßas derivadas da movimenta√ß√£o dos stakeholders √© essencial para a defini√ß√£o de qualquer estrat√©gia de crescimento. Por√©m, quando falamos de movimenta√ß√£o dos stakeholders, estamos tratando de uma vis√£o […]

Saiba Mais

Seleção Natural e Sobrevivência de Empresas: A Lei de Hoshi

O capitalismo evolui por meio da sele√ß√£o natural entre as empresas. Aquelas mais adaptadas √†s mudan√ßas s√≥cio-econ√īmicas, pol√≠ticas, setoriais e mercadol√≥gicas s√£o as que logram sucesso no duro desafio de sobreviver – e n√£o s√£o necessariamente as maiores e/ou melhores. A volatilidade e a longevidade das empresas participantes do ranking da Fortune 500, conceituada publica√ß√£o […]

Saiba Mais

Não chores por ti, América. Trabalhes por ti, Brasil

Ao longo dos anos que comp√Ķem a hist√≥ria de nossa forma√ß√£o acad√™mica e profissional, acostumamo-nos a respeitar, reverenciar e admirar os grandes feitos, iniciativas, modelos, h√°bitos e tend√™ncias produzidas fora de nosso pa√≠s. Moralmente abalados por uma s√©rie de infort√ļnios e decep√ß√Ķes marcantes nas √ļltimas d√©cadas, desacreditamos em nossas institui√ß√Ķes e menosprezamos nossas realiza√ß√Ķes. Literalmente, […]

Saiba Mais

Diferenciação de Ofertas: Estratégia de Negócio e Competitividade

Empresas que atuam em mercados de concorr√™ncia intensiva em produtos e servi√ßos (e na combina√ß√£o de ambos) necessitam de flexibilidade e agilidade para compor suas ofertas de acordo com as demandas de seus clientes e consumidores e das tend√™ncias de seus mercados de atua√ß√£o. A proposta de valor corporativa, traduzida essencialmente por seu portf√≥lio de […]

Saiba Mais

Carregar mais Antigos